Resenha: "Anna e o Beijo Francês", Stephanie Perkins

domingo, 21 de agosto de 2011

Anna e o Beijo Francês
Autora: Stephanie Perkins
286 pág.s
Editora: Novo Conceito
Tradução: Fabiana Paganini de Andrade
Onde Comprar: Saraiva , Martins Fontes , Ponto Frio , Busca Pé

Anna e o  Beijo Francês “Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge.
A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis.
Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha.
O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços.
E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris.
A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo.”
Anna Oliphant ANNA OLIPHANT não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz.
Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer.
Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito.
Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada... Anna e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas.
Será que um ano inteiro de desencontros em Paris terminará com o esperado beijo francês?
Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer?


“Se fossem férias, tenho certeza de que estaria encantada. Eu compraria um chaveiro da Torre Eiffel, tiraria fotos dos paralelepípedos e pediria um prato de escargôs. Mas não estou em férias. Estou aqui para viver, e me sinto pequena.”


Anna é uma adolescente de 17 anos que contra sua vontade vai para Paris num colégio interno, seu pai (como vários blogueiros citaram parecer com “Nicholas Sparks”, por escrever romances com finais trágicos e que viraram filmes) é o chato que a manda para França. Durante o começo da história, a louca não sai do seu quarto (se fosse eu já tava tomando um cappuccino em algum terraço) e aí vai conhecendo algumas pessoas que vão se tornar seus amigos ao longo do enredo como Rashimi, Josh, Mer e St. Clair, o garoto inglês por quem ela se apaixona, mas que já tem uma namorada, e para piorar a situação a nova amiga dela também gosta dele.
No começo não estava com aquela empolgação para ler, mas durante e até o final do livro isso vai crescendo até você pedir uma continuação. Não é aquele guia de Paris, mas pelo romance você aprende sobre alguns monumentos, cinemas, cultura local e como é o “povo” francês(que pela história são bem românticos por sinal), como numa parte que a narradora cita os olhares, os americanos, que por uma questão de tempo e correria, não olham nos olhos, já os parisienses tendem a olhar diretamente nos olhos, o que assim ela vê como um sinal de como o pessoal é romântico.
 
“Quem manda os filhos para um internato? É tão Hogwarts. Só que no meu não tem feiticeiros bonitinhos, balinhas mágicas ou aulas de vôo.”

Uma coisa que gostei na Anna é ela ter um blog onde faz críticas de filmes, no novo local vai ao cinema mesmo sozinha (leia a citação abaixo:)
“Algumas pessoas têm preconceito sobre ir ao cinema sozinhas, mas eu não. Porque quando as luzes se apagam, a única relação que ainda existe na sala é entre mim o filme.”

Stephanie Perkins escreveu outro livro, “Lola and the boy next door”, ainda sem previsão para o lançamento aqui no Brasil.
Uma coisa que não sei se foi erro ou intenção da autora, editora ou tradutor, são os diálogos, tem partes que os travessões, hífens e outros não estão adequados corretamente e isso causa no leitor um não entendimento de tal parte; mas fazendo um geral, o romance é bom e uma coisa que fica no ar durante a estória é se vai haver ou não o tal “Beijo Francês”, por conta de tudo o que acontece tem momentos que você acha que o “casal” nunca vai ficar junto, mas isso vocês irão descobrir e depois me contar se gostaram!


A Autora:

Stephanie Perkins (www.stephanieperkins.com) sempre trabalhou com livros - primeiro como vendedora, depois como bibliotecária e agora como romancista. Adora café moca, contos de fadas, música alta, caminhadas na vizinhança, chá de jasmim e tirar sonecas à tarde. E beijar. Stephanie e seu marido moram nas montanhas do norte da Califórnia.


GOSTOU DA RESENHA?QUER GANHAR O LIVRO + UM BATOM?PARTICIPE DA PROMOÇÃO:


COMENTE NESTA RESENHA E CONCORRA A MARCADORES DA RAI/SEXTANTE/ARQUEIRO!!!
(o sorteio ocorrerá quando houver 10 comentários e depois 15)

6 comentários:

  1. Quero muito ler esse livro.Acho muito boa a história.Parabéns pela resenha gosto do jeito que vc escreve e pela sua sinceridade no que vc gosta e no que também não gosta.

    @Agda01

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem?

    De tanto ler resenhas na blogesfera sobre esse livro estou louca para ler e confesso:
    Participando de vários sorteios, pra vê se ganho um deles hehehe!!

    Beijos
    Luciana
    Passa lá no meublog:http://www.apaixonadaporromances.com.br

    ResponderExcluir
  3. Muito boa a resenha. Parabéns.
    Fiquei com vontade de ler.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha, quero muito ler este livro.
    Participando!!!

    ResponderExcluir
  5. nunca vi esse livro mas estou bem interessada em ler !!"
    adoreia resenha.... me deixou super curiosa pra saber o que acontece no final !

    ResponderExcluir
  6. Eu to querendo demais esse livro!!!!!!!

    ResponderExcluir

 
O Simbolista © 2012 | Designed by Guilherme Cepeda